quinta-feira, 10 de maio de 2012

Amor de mãe.



Certa vez perguntaram a uma mãe qual era seu filho preferido, aquele que ela mais amava. E ela, deixando entrever um sorriso, respondeu:
“Nada é mais volúvel que um coração de mãe. E, como mãe, lhe respondo: o filho predileto, aquele a quem me dedico de corpo e alma, é o meu filho doente, até que sare.
O que partiu, até que volte.
O que está cansado, até que descanse.
O que está com fome, até que se alimente.
O que está com sede, até que beba.
O que está estudando, até que aprenda.
O que está nu, até que se vista.
O que não trabalha, até que se empregue.
O que namora, até que se case.
O que se casa, até que conviva.
O que é pai, até que os crie.
O que prometeu, até que se cumpra.
O que deve, até que pague.
O que chora, até que cale.
E já com o semblante bem distante daquele sorriso, completou: O que já me deixou, até que o reencontre.
                                        autor desconhecido.

Um comentário:

  1. Olá Catequista Unido!
    Está chegando o primeiro aniversário do nosso Grupo Catequistas Unidos, e com isso vai acontecer uma promoção especial! Peço alguns minutos de seu tempo para ler a seguinte postagem: http://www.catequesenanet.com.br/2012/05/aniversario-catequistas-unidos.html Venha participar conto com sua presença, afinal somos unidos ou não? rsrsrs
    Paz de Cristo!

    ResponderExcluir